16 de mar de 2008

equilibrio, curvatura, densidade, peso...








Aceita-se geralmente que um musico de instrumento de corda compra primeiro um instrumento antes de começar a procurar um arco. A pergunta de muita gente é: o que é mais importante, o instrumento ou o arco. Eu digo o seguinte: você vai a um recital de violino ou você vai a um recital de arco? É o músico um violinista ou um “arquista”? Eu acredito que isso responde à pergunta. Entretanto, depois que o instrumento ideal é encontrado, o arco deve ser a próxima procura.
Ao procurar um arco, deve-se ter em mente que apenas porque um arco é caro não lhe faz automaticamente um arco melhor.em termos de materiais o pau brasil é a melhor madeira para o arco. Outras madeiras são usadas para arcos mais simples e para arcos de estudante. Nos últimos 10 anos a fibra de carbono tem se mostrado uma opção interessante para a confecção de arcos e muita gente diz que a fibra de carbono é tão boa quanto o pau-brasil. Sendo que os arcos de fibra de vidro são usados para estudantes.



A crina do arco é tradicionalmente branca ou preta sendo que a crina preta é mais usada para arcos de contrabaixo. Muitos substitutos foram experimentados, mas a crina do cavalo é considerada ainda o melhor material. Quando estiver avaliando um arco certifique-se que a crina é nova ou pouco usada. Com o tempo a crina estica e perde sua habilidade de reter resina. Um bom arco com crina velha é como um bom violino com cordas velhas.
Redondo ou octagonal
a forma do arco é assunto de muita discussão. Algumas pessoas acreditam que um bom arco deve ser redondo, outras preferem o formato octogonal. Porém, o equilíbrio do arco e a qualidade da madeira que está sendo usada serão o fator decisivo na qualidade do arco.
O equilíbrio correto de um arco é muito importante. O arco não deve ser demasiado pesado no talão e nem ser demasiado leve na ponta. Se for demasiado leve na ponta será difícil começar um som forte na parte superior do arco, se for demasiado pesado no talão será difícil controlar golpes de arco como o spicatto e mudança de corda.
Força e flexibilidade
 a força e flexibilidade da vareta são basicamente opostos, contudo são extremamente necessários para que um arco seja capaz de produzir um bom som. A força da vareta é absolutamente essencial para fazer um som forte e poderoso. O arco deve ter rapidez de resposta e clareza na articulação.
Para avaliar a força, eu verifico primeiro a dificuldade para girar o parafuso ao apertar a crina. Se o talão estiver bem ajustado na vareta e o parafuso girar com extrema facilidade o arco é demasiado fraco. Coloque o arco em cima de uma corda do seu instrumento e force para baixo, verifique quanta resistência ele oferece antes de encostar a crina na vareta.
Curvatura e alinhamento
A curvatura é extremamente importante porque determina algumas características muito importantes. Se o arco tiver uma curvatura excessiva poderá se tornar muito duro e desajeitado e se não for curvado o bastante se tornará fraco e sem clareza nas articulações. O arco pode perder sua curvatura com o tempo se não for devidamente afrouxado na hora de guardar. A curvatura pode ser refeita e para isso é necessário um luthier que tenha experiência, pois esse é um procedimento muito delicado. Os arcos franceses costumam ter bastante curvatura na parte superior começando bem perto da ponta, isso dá mais firmeza e som mais brilhante. Os arcos alemães por sua vez têm curva mais suave e homogênea, portanto, produzem som mais escuro e a vareta fica um pouco mais flexivel.
País de origem
Os franceses são conhecidos pelos seus arcos assim como os italianos são para violinos. O francês inventou o arco como nós o conhecemos hoje e a maioria dos golpes de arcos usa palavras francesas. A França, durante muitos anos, produziu muitos archetiers de alto nível, mesmo para os arcos feitos por fabricantes franceses modernos o preço tenderá a ser mais elevado do que de outros países tais como alemães, suíços, e estados unidos.


ornamentação
fabricantes de arcos individualizam seus produtos de diversas maneiras. Alguns arcos são altamente decorativos, alguns adornados muito simplesmente. O músico não deve supor que mais decoração significa automaticamente mais qualidade.
Porém freqüentemente os melhores arcos são montados em prata ou em ouro e a montagem em níquel fica para os arcos mais simples.

15 de mar de 2008

evolução do arco

determinou o conceito do arco moderno




pau cobra


PAU COBRA


Brosimum guianensis, nome cientificoTambém conhecida como snakewood ou pau-cobra. Ocorre em Belize, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Bolívia, Colômbia, Equador, Suriname, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Venezuela e Brasil. Apesar disso, é considerada madeira rara. No Brasil, ocorre na Amazônia. Madeira dura, pesada e resistente. De cor marrom-avermelhado, apresenta diversas manchas mais escuras lembrando a pele de uma cobra.
muito utilizada para fabricar arcos barrocos



                                                                      
PAU BRASIL


Nomes Populares

Pau-Brasil, ibirapitanga, orabutã, brasileto,

ibirapiranga, ibirapita, ibirapitã, muirapiranga, pau-rosado.



Sinonímia Botânica

Guillandina echinata (Lam.) Spreg.

Características Morfológicas

Planta espinhenta de 8-12m de altura (a literatura cita exemplares de até 30m que existiram no passado), com tronco de 40-70cm de diâmetro. Folhas compostas bipinadas de 10-15cm de comprimento, com 5-6 paras de pinas de 8-14cm de comprimento; folíolos em número de 6-10 pares por pina, de 1-2cm de comprimento.



Ocorrência

Ceará ao Rio de Janeiro na floresta pluvial Atlântica,
sendo particularmente frequente no sul da Bahia.

                                                           IRIZEIRO

Basselinia pancheri, conhecida como irizeiro é uma  palma robusta de porte médio com um tronco esguio verde ou cinzento, encimado por um palmito proeminente e muito colorido, que pode ser qualquer coisa do marrom ao vermelho escuro ao preto arroxeado. As folhas coriáceas têm  larguras diferentes. Basselinia pancheri é generalizada na maior parte da Nova Caledônia, freqüentemente em florestas tropicais, é uma das espécies mais adaptáveis ​​neste género e ocorre bem mais em climas tropicais e subtropicais. tem uma forma surpreendente com uma coroa muito compacta é encontrada em altitudes elevadas

madeira muito exotica utilizada para construir arcos barrocos.











festivais de musica

festival juiz de fora 2007
festival de londrina 2007